[Artigo] Fomento a leitura é tarefa de todos

O gosto pela leitura não é fomentado por decretos. Se assim fosse, nos meses de outubro, as poucas bibliotecas e livrarias existentes Brasil afora tornar-se-iam os espaços mais concorridos. Não porque neste mês comemora-se o dia das crianças e do professor, mas porque em outubro, por meio de decretos e leis, também são comemorados o dia Nacional do Livro (29), a Semana Nacional do Livro e da Biblioteca (23 a 29), o Dia Nacional da Leitura (12 de outubro) e a Semana Nacional da Leitura e da Literatura (semana em que recair o Dia Nacional da Leitura).

Da mesma forma, a publicação de livros e a sua distribuição nas escolas, por maiores que sejam, não garantem o aumento de leitores. No Brasil existem mais 500 editoras que são responsáveis por mais da metade dos livros editados em nosso continente. As escolas públicas recebem livros do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Claro que marco legal e datas para celebração da leitura são importantes para pautar a questão. Mas, por ser prática cultural, o gosto pela leitura depende, em grande parte, do ACESSO das pessoas, especialmente das crianças, a ACERVO diversificado, em diferentes ambientes – na escola, em casa, nas livrarias e nas bibliotecas; da MEDIAÇÃO – familiares, professores, educadores, bibliotecários lendo e contando histórias, comentando e indicando obras; de ESPAÇOS – bibliotecas, livrarias, salas de leitura – de fruição cultural onde a leitura seja uma das opções para os frequentadores.

Nesta perspectiva, a responsabilidade de fomentar o gosto pela leitura não pode ser apenas da escola, mesmo sendo o espaço por excelência de aprendizagem, valorização e consolidação da leitura. O fomento depende de políticas públicas que contemplem ESPAÇOS, ACERVO E AÇÕES DE MEDIAÇÃO. Assim, é urgente qualificar as poucas bibliotecas existentes (públicas e escolares), criar milhares de outras (72,5% das escolas não possuem bibliotecas) e investir em formação de mediadores de leitura.

Vamos todos nós que compreendemos a leitura como elemento de inserção social participar e sugerir ações de mediação de leitura e divulgar as que já existem.

Vamos acompanhar a implementação da Lei da Biblioteca Escolar – Lei 12244/10 (instituições de ensino públicas e privadas de todos os sistemas de ensino do País contarão com bibliotecas, até 2020).

Vamos, todos em coro, perguntar: Cadê o Plano Estadual do Livro e da Leitura que já foi submetido à consulta pública? Onde está o Plano Municipal do Livro, da Leitura e da Biblioteca, lançado no último mês de agosto?

Por: Rita Margarete, coordenadora da Linha de Formação de Agentes Culturais
Fonte: Avante.org.br 

+ NEWS