Escola sul-coreana vivencia educação ao ar livre

Quando se fala em educação sul-coreana, talvez uma das primeiras imagens que venha à cabeça seja uma sala de aula com estudantes quietos, impecavelmente vestidos, compenetrados nos problemas de matemática de um espesso livro de exercícios. Mas na Chadwick International, filial de uma escola independente norte-americana fundada há 75 anos, não é bem assim. Funcionando há três anos em Yeonsu-gu, a 32 km da capital Seul, a escola aposta na educação ao ar livre para colocar os jovens em posição de sugerir, criar soluções para problemas, interagir, acertar e – por que não? – errar. A partir de uma fórmula que aposenta os livros didáticos e reforça a importância do aprendizado baseado em projetos, a escola pretende preparar melhor os alunos para a vida e, assim, se firmar como “um modelo para a revolução na educação sul coreana”.

A Chadwick é uma escola muito especial porque ela foca não apenas na excelência acadêmica, mas nos próprios alunos, enfatizando o desenvolvimento da liderança e da autodescoberta a partir de um aprendizado experimental”, diz Unna Huh, diretora de assuntos internacionais da Chadwick International, que reforça o caráter competitivo da sociedade sul coreana e da pressão que os pais fazem nos filhos para conseguirem vagas nas melhores universidades. “Mas vivemos o tempo da mudança, na era da informação, da criatividade e da inovação e as pessoas estão começando a reconhecer isso”, afirma a educadora, que viu o interesse das famílias pela escola galopar. Desde que abriu, com apenas 230 alunos do 7o ano, passou para 530 no ano letivo seguinte e atualmente conta com 707 jovens de 7o, 8o e 9o anos. Para o próximo ano, já há famílias na lista de espera e a perspectiva é que o número de matriculados cresça ainda mais.

SAiba mais: http://porvir.org/porfazer/escola-sul-coreana-experimenta-educacao-ao-ar-livre/20121112

+ NEWS