MEMÓRIAS DO FUTURO 2013 - Movimentos pela Infância

BRINQUE, CONVIVA, COMPARTILHE!  Com esta frase como chamada, o Memórias do Futuro prepara ações em rede para estimular o movimento em favor da infância no Mato Grosso do Sul e no Brasil.

"... A criança deve ter todas as possibilidades de entregar-se aos jogos e às atividades recreativas, que devem ser orientadas para os fins visados pela educação; a sociedade e os poderes públicos devem esforçar-se por favorecer o gozo deste direito".

(Declaração Universal dos Direitos da Criança, 1959)

Conectando ARTE, EDUCAÇÃO e TECNOLOGIA o Memórias do Futuro, tem como objetivo maior promover ações para ampliar a percepção social para a importância do brincar ao desenvolvimento da criança, garantindo espaço, tempo e proteção para o exercício desse direito com criatividade e em contato com a natureza.

O projeto produz conteúdos, realiza apresentações nas comunidades, oferece formação para jovens, educadores e ONGs e compartilha em Rede todo o conhecimento gerado, somando esforços conceituais e práticos aos movimentos nacional e internacional de reconhecimento a Cultura da Infância ou Cultura da Criança. 

Realizado pelo Espaço Imaginário e o Pontão de Cultura Guaikuru, com patrocínio da Fundação Telefônica VIVO, o projeto teve suas ações prolongadas devido a relevância da causa da infância no Brasil e no mundo. Veja o conteúdo produzido no portal: www.memoriasdofuturo.com.br

Em 2013, o Memórias do Futuro assume o caráter de movimento, tendo como missão fomentar ações educacionais, artísticas, culturais e de comunicação, produzindo continuamente conteúdos que irão alimentar uma grande rede de instituições interessadas na troca destas experiências em favor da infância.

São parceiros de ações e compartilhamentos: Rede Nacional pela Primeira Infância – RNPI (BR), Casa de Ensaio (MS), Instituto Acaia Pantanal (SP/MS), Casa das Cinco Pedrinhas (BA), Aliança pela Infância (BR), Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Instituto do Homem Pantaneiro (MS), OMEP - Organização Mundial de Educação Pré-Escolar (BR/MS), Casa da Cultura Digital (SP) além de novas instituições e redes com as quais estamos formalizando as parcerias.

O direito de brincar está contido no Artigo 31 da Convenção dos Direitos da Criança (CDC) da ONU e foi referendado pelo Comitê dos Direitos da Criança, que reconhece o direito de cada criança ao descanso, lazer, jogo, atividades recreativas e livres, e a plena participação na vida cultural e artística. No entanto, o Comitê sobre os Direitos da Criança entende que, para muitas crianças ao redor do mundo, esses direitos não recebem a devida atenção e, mesmo onde há esse reconhecimento, tende-se a focar em atividades estruturadas e organizadas, mais do que permitir o brincar espontâneo, a recreação e a criatividade. Além disso, o aumento das populações urbanas, o papel crescente das comunicações eletrônicas, a comercialização da oferta do brincar, o trabalho infantil e crescentes demandas educacionais estão afetando os direitos das crianças, contidos no Artigo 31, frequentemente de forma negativa.

OFICINAS E ATIVIDADES

Promovendo ações presenciais e conteúdos compartilhados em rede por organizacões e pessoas de todo o Brasil, a segunda fase do Memórias do Futuro propõe a irradiação da importância do brincar em espaços educativos formais e não formais. Para tanto, será realizada a formação de um grupo multidisciplinar de educadores/pesquisadores que irá desenvolver formas criativas de utilização das tecnologias e das brincadeiras tradicionais.

Por meio de oficinas presenciais, produção orientada de conteúdos, acompanhamento on line, entre outras atividades, o grupo de educadores aprenderá a usar tecnologias móveis e os conteúdos do portal Memórias do Futuro, e outros sites, como ferramentas para planejar aulas criativas, documentando e estabelecendo conexões com os conteúdos de sala de aula. O projeto desenvolveu para os educadores um guia on line que estimula a documentação do educador e a convergência de conteúdos lúdicos, sistematizando sua utilização nas práticas educativas.

As oficinas incluem as seguintes abordagens: Sensibilização para a cultura da infância e repertório de brincadeiras; Técnicas de produção audiovisual com tecnologia móvel (celular); Utilização da internet e redes como ferramentas de comunicação e pesquisa; Publicação e divulgação das experiências no portal Memórias do Futuro e em outras redes.

COMUNICAÇÃO

A estratégia de comunicação do Memórias do Futuro visa mobilizar a opinião pública em favor da infância e do Direito ao Brincar através de ações em rede, produção de conteúdos audiovisuais, veiculação estratégica em TV, rádio e internet, oficinas de formação,  eventos, apresentações artísticas, publicações, assessoria de imprensa, potencializando a significativa repercussão gerada durante sua primeira etapa, em 2012, e fortalecendo os vínculos com as redes institucionais, comunidades, escolas e ONGs com as quais atuou.

Para construir uma comunicação crítica e mobilizadora da sociedade sobre a questão da infância no MS e no Brasil, trabalharemos com os seguintes eixos temáticos: direito ao brincar, espaços públicos para crianças, tecnologias na educação, o brincar como aprendizagem, políticas públicas para a infância, comunicação pela infância, a arte e a cultura brasileira na formação da criança, audiovisual no imaginário infantil, o tempo da imaginação e a liberdade criativa.

BRINQUE, CONVIVA, COMPARTILHE ESTE MOVIMENTO!

www.memoriasdofuturo.com.br


 

+ NEWS